Manejo de resíduos sólidos

As formas inadequadas de disposição dos resíduos sólidos – representadas pela destinação à logradouros públicos, terrenos baldios, vala, rio, lago ou mar e à queima – foram significativamente reduzidas nos domicílios rurais entre 1991 e 2010, de 90% para 69%. Entretanto, chama a atenção o considerável aumento no percentual de domicílios que têm seus resíduos incinerados no mesmo período, de 27% para 58%. Os percentuais de domicílios atendidos por serviço de coleta porta a porta e em caçambas também aumentaram nas duas décadas analisadas, de 5% para 20% e de 1% para 7%, respectivamente (Figura 4.6).

Figura 4.6 Evolução das formas de destinação de resíduos sólidos nos domicílios rurais brasileiros
Print  CSV  Excel  

Práticas relacionadas ao manejo dos resíduos sólidos nas comunidades visitadas

A queima dos materiais incineráveis ainda é a principal “solução” para os resíduos sólidos encontrada pelos moradores das áreas rurais. O motivo mais comum é a simples necessidade de eliminar o resíduo, com frequentes justificativas relacionadas à demora da coleta pela prefeitura e o fato de que “a acumulação atrai animais e doenças” e também por questões culturais, “para espantar os mosquitos”. Outra solução muito adotada, principalmente para resíduos não incineráveis, é a disposição em valas, para eventual preenchimento com terra. Pode ocorrer demora na cobertura, com os resíduos ficando expostos por muito tempo. Pilhas e outros resíduos não incineráveis e perigosos acabam sendo dispostos em áreas adjacentes aos domicílios, “no mato” ou nas margens de rios, gerando risco de contaminação ambiental. A presença de resíduos sólidos nos logradouros e quintais é constante. Produtos químicos utilizados na produção agrícola e pecuária são frequentes e a população nem sempre está ciente dos riscos que trazem à própria saúde. A maioria das soluções adotadas como destino final das embalagens de agrotóxicos não é adequada: a queima pode liberar gases tóxicos, enquanto enterrar os resíduos sólidos pode contaminar o solo e o lençol freático e sua disposição no terreno pode provocar problemas ambientais e impactos sobre a saúde de forma mais ampla, dado o transporte desses resíduos na época das chuvas. A disposição correta, caracterizada pela entrega do material ao fabricante do produto, é adotada em algumas comunidades. Há, em alguns locais, coleta de resíduos sólidos, em geral, pelas prefeituras, realizada porta a porta ou em local específico utilizado como depósito pelos moradores (como caçambas e galpões). Também existe coleta por caminhões e carroceiros contratados. Em locais onde não há coleta, alguns moradores encontraram, como alternativa, o transporte dos resíduos para locais onde as prefeituras a realizam. Resíduos orgânicos são, em geral, utilizados para alimentar animais e adubar plantações.